REVIEW: IU – PALETTE

Olá, como vocês estão?

E cá estamos com a review semanal. Estou levemente atrasado pra comentar o comeback da IU, eu sei. Porém, eu estava achando que sairia um mv pra Jam Jam, e fiquei essa quase uma semana esperando pra poder fazer post. Porém, como não aconteceu e nem vai acontecer, resolvi trazer essa review aqui.

Eu não sou lá o maior conhecedor de IU, só ouvi mesmo o Modern Times e o Chat-Shire, de resto, apenas singles. Porém, curto o estilo extremamente versátil dela, e com o anuncio do 4° LP, já estava a postos pra ouvir, já que ela sempre vem com algo diferente a cada comeback. E o que eu achei dos singles e do resto do álbum vocês conferem ai

Ouçam pelo Spotify: 

Iniciamos com dlwlrma, uma dessas músicas jazz/R&B bem gostosinhas que ela geralmente entrega. É bem bacana, principalmente no refrão, que é bem explosivo e digno de um musical da Broadway. Funciona bem como faixa inicial.

E então, o single, Palette. É provavelmente a title menos pop e mais indiezada da IU até agora, tendo uma pegada smooth, bem calminha e tal. Não é o tipo de coisa que eu curto (vocês que me acompanham sabem disso), mas pra uma ouvida momentânea, é bacana. Não achei que o rap de G-Dragon não agregou tanta coisa assim (inclusive a própria IU fez e eu curti mais assim, mas enfim). A letra sobre como ela amadureceu e está gostando de coisas mais bregas é bacana, e acho que expressa bem esse momento da vida (quer dizer, na minha cabeça ela conseguiu passar bem, afinal, eu estou a 9 anos de fazer 25, então não tenho como dizer).

Já que eu não falei do mv, vamos lá: achei ele bem bacana, geralmente eu curto essa estética minimalista com coisas aleatórias na tela, então, mesmo que simples, funciona.

iu review

Ending Scene vem num momento bom da tracklist, e o fato de ela ser uma balladzinha OST de dorama bem filler não chocou tanto quanto se choraria caso ela viesse mais pra frente. Enfim, como disse, achei ela bem qualquer coisa, provavelmente a mais pulável do álbum, porém, não foi uma ouvida ruim nem nada do tipo.

As coisas sobem um tiquinho em Can’t Love You Anymore, feat com o Oh Hyuk. É uma ballad R&B bem boa de ouvir, dentre os dois pré-releases, ela foi a mais aproveitável. Geralmente os duetos de homem x mulher que saem lá na Coreia me dão sono, mas esse aqui eu curti.

palette

O que pra mim é o destaque disso aqui vem numa ótima hora. Jam Jam tem um começo bem sóbrio, com um disco bem forte que lembra bastante house. Mas ai ela chega no refrão e todo o clima fumado do teaser se faz presente. A faixa é basicamente o refrão com os versos que abrem a faixa, e isso é bacana, apesar de que se houvessem mais dos “Baby make me be sweet, baby make me so sweet” eu teria gostado ainda mais. Porém, continua uma ótima faixa.

Outra faixa ótima é Black Out. O instrumental mais pesado (mas que continua midtempo) do que o das anteriores é ótimo, principalmente com a batida e as guitarras, e o refrão gritado também. Acho que teria sido ótima como um dos pré-releases, mas paciência. E como última não-ballad do álbum, ela faz um bom papel.

Full Stop vem como a primeira das 4 ballads finais do álbum. É a mais curta delas, e a mais melancólica também. O instrumental orquestral é bacana, e ajuda bastante a faixa a não cair num marasmo.

Seguindo, Through The Night. É uma ballad acústica de quase 5 minutos, então acho que vocês já sabem o que esperar.

Love Alone é basicamente a mesma coisa de cima, mas com um destaque maior pro violão. Se fosse mais curta, eu provavelmente teria gostado mais, visto que toda a aura triste da faixa é bacana.

E pra fechar o álbum, Dear Name, que vem com um up nas coisas, sendo bem mais carregada no instrumental (e no vocal, já que IU grita bastante nessa). É a típica OST de dorama, mas como ela vem após 3 ballads acústicas, acaba sendo uma alegre surpresa e um final bacana (e meio genérico, mas bacana) pro álbum.

Eu curti o Palette. É um álbum bacana, e novamente, mostra que IU é uma artista bem versátil em seus trabalhos. Tem uma sonoridade bem sólida e que do começo ao fim é seguida, com leves momentos de mudança, mas nada que saia do propósito. Porém, achei que o final dele matou bastante o potencial. Não gosto muito de ballads, mas não é por isso, e sim pelo fato de que todas elas são bem similares entre si, e por isso, deveriam ter sido distribuídas ao decorrer do álbum, ao invés de virem todas de uma vez. Mas tirando isso, ele é bem bom (principalmente a primeira metade), e creio eu que vale a ouvida sim.

gufdjlb

The Misconceptions Of Me ~ Review 

IU – Palette

Lançamento: 21/04/2017

Nota: 7,0 

TOP 3: Jam Jam, Black Out e dlwlrma

E vocês, o que acharam do Palette?

Não se esqueçam de curtir a página do blog, e se gostou do post, divulgue ❤

Anúncios

3 comentários sobre “REVIEW: IU – PALETTE

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s