REVIEW: AOA – ANGEL’S KNOCK

Olá, seres que leem esse blog. Como estão?

[Edit 05/01: por algum motivo o post, que saiu hoje, fica exibido como publicado no dia 4, dia em que comecei a escrever, e por isso ele fica ofuscado sobre o post do WJSN e o do Wonder Girls, então, vou fixá-lo até pelo menos o próximo post do blog]

Como prometi, aqui estou com a review do Angel’s Knock, o tão esperado LP do AOA. Após mudar seu estilo drasticamente, chegar ao estrelato, ter uma queda de popularidade por um dos motivos mais ridículos da terra e evoluir musicalmente com um ótimo mini-álbum e LP japonês, AOA finalmente lançou um full album na Coreia.

As titles obviamente vocês já conhecem e gostam, mas será que o Angel’s Knock permanece com a qualidade musical que as meninas ganharam no ano passado ou ele é simplesmente uma junção de bombas pra preencher espaço? Vamos conferir!

Ouçam pelo Spotify:

Iniciamos com Excuse Me, um pop com leves ares de trot e uns sintetizadores tímidos, lembrando um single de Orange Caramel, mas sem a bizarrice visual. Assim como as outras faixas-title delas, possui um refrão grudento e que faz muito bem seu trabalho.

Bing Bing não poderia ser mais AOA. Tudo o que é marca das músicas delas e que é memetizado por todo mundo está presente: intro em inglês, Jimin mandando uns “hey” a cada 5 seg, um refrão catchy… e exatamente por isso que ela é boa. Não sei se é adequado colocar as titles uma seguida da outra, mas como aqui elas não se destoam tanto, não tem tanto problema assim.

As bsides começam com Three Out. É boazinha, mas chega a ser açucarada demais pro conceito do AOA (na verdade eu achei a estrutura da faixa bem parecida com I’m Jelly Baby). Meio fillerzinha, se levarmos em conta que é a primeira faixa após as titles, que sempre deve ser um pouco mais marcante.

Feeling coloca as coisas de volta no trilho, usando 8-bit+teclado/piano na backtrack com êxito. O refrão é bem bom, sendo catchy assim como os das titles. Após uma faixa menos que mediana, é muito bem vinda. A bridge é fantástica e provavelmente uma das melhores que ouvi dentre os lançamentos dos últimos dias.

Seguindo, temos Can’t Sleep, sendo um dancepop que evoca muito bem a BraveBrotherszada do grupo em 2014. Os vocais chorosos da ChoA no refrão daqui são muito bem usados e dão outra cara na faixa. Não havia gostado quando ouvi pela primeira vez, mas agora até que curto um bocado.

yunaa

Se tem uma coisa que eu aprendi a fazer nesses anos de kpop, foi decifrar faixas pelo nome, principalmente quando são faixas com homens e mulheres cantando juntos. A partir do momento que você vê “Lily (feat Rowoon of SF9)” automaticamente você já imagina a música de cafeteria/comercial de agência de viagem/elevador. E é exatamente isso que a faixa é. Acho que a partir daqui já dispensa comentários, né?

Após a xaropada ai vem Melting Love, é um pouco melhor que a anterior, mas não é lá essas coisas também não (ao menos não deixa com sono)

seolhyun

Give Me The Love Help Me vem pra botar ordem nesse troço. Um dos melhores lançamentos do ano passado (não é a toa que ficou em 9° no top de fim de ano) não faz feio em sua versão em coreano, apesar de que os vocais do véio fazem falta. O Hongki tava lá dando sopa no porão da FNC, podiam ter usado ele, os timbres são semelhantes. Mas paciência.

Ao contrário de Give Me The Love Help Me, Oh Boy teve seu nível bem abaixado em sua versão coreana. O rap da Jimin se destoa completamente do resto da música, ao invés de ficar uniforme assim como na original e os drop it drop it drop it após o refrão deram uma boa derrubada. Mas de resto, continua boa.

mina1

Pra fechar, With Elvis, ou seja, uma música do AOA pros seus fãs. E como toda música ~para os fãs~, ela é uma balladzinha acústica no violão (ao menos não é uma balladzinha acústica no piano). Tem um ar reflexivo pra tirar da mesmice, mas também não é isso que deixa a faixa boa.

Angel’s Knock é um álbum que parecia muito promissor, tanto por sua expectativa em si quanto por seu medley, mas infelizmente acaba sendo bem abaixo do esperado. Ele mostra bem o quanto AOA evoluiu sonoramente, e isso é ótimo, mas as faixas não são tão impactantes assim e isso o deixa extremamente ofuscado, ainda mais depois de um 2016 tão bom musicalmente. Não achei nenhuma das faixas ruins (talvez só a com o menino do SF9), mas também nenhuma delas é marcante e, infelizmente, a impressão que o álbum nos dá no fim é a de que 2016 foi somente um golpe de sorte na carreira das meninas, musicalmente falando. Acho que assim como SNSD, AOA será um grupo em que sua discografia em outras terras consegue ser melhor que a em seu país natal (a adição de duas faixas originalmente japonesas no álbum só reforça isso)

angels-knock

The Misconceptions Of Me – Review

AOA – Angel’s Knock

Lançamento: 02/01/2017

Nota: 5,75

TOP 3: Excuse Me, Feeling e Bing Bing

E vocês, o que acharam do Angel’s Knock?

Não se esqueçam de curtir a página do blog, e se gostou do post, divulgue ❤

 

Anúncios

2 comentários sobre “REVIEW: AOA – ANGEL’S KNOCK

  1. Diamantina disse:

    Vim aqui panfletar NCT com essa old school MARAVILHOSA ❤ /ignore os cabelos horriveis e o mv tosco/ ESTÁ UMA DELICIA E PROMETE UM ALBUM TÃO MARAVILHOSO QUANTO O FIRETRUCK!!!1!!!! /performance ver em anexo/

    A B-SIDE GOOD THING JÁ É MINHA FAV

    hm, não achei isso tudo do comeback de AOA, mas gostei das duas, mais de BingBing

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s