Top 100 de 2017 – Parte 5 (40-26)

Olá, como vocês estão?

Estamos à 4 dias do top 10 de 2017, e aqui nessa parte já começa a ficar naquilo que, em nenhum momento do ano, eu cheguei a enjoar ou algo do tipo. Será que Loonatic rodando antes mesmo do 20° lugar fará com que o público desse blog vá embora? Veremos:

40 – T-ara – What’s My Name

t-ara

T-ara acabou, vai se reunir de novo em outra empresa, ou vai pra China? Até hoje não sabemos, mas o ÚLTIMO ÁLBUM COM O OT6 que virou ot4 e nem tão último álbum assim tem um single bacana. What’s Your Name segue esse modelo de farofas pseudo-tropical house (nesse caso é tropical house mesmo) que o Brave Brothers vem produzindo, como Crying e Rollin’. Só faltou realmente a presença da Soyeon e da Boram ai no mv pra dar mais iconicidade pra coisa.

-x-

39 – LOOΠΔ 1/3 – Sonatine

loona-13-love-evil

Sonatine não é lá o que eu espero de algo chamado Love & Evil (principalmente pelo teaser trevoso que parecia que elas estavam prontas pra chamar DreamCatcher pra porrada), mas é com certeza a melhor faixa da primeira unit do LOOΠΔ. Essas faixas orquestrais que elas costumavam lançar pré-OEC são tão legais, parecem com músicas que as princesas dos filmes da Disney nos anos 40-60 cantavam la pelos 30 minutos de filme, antes da história engrenar de vez. Ta ai algo que eu não imaginei que fosse colar tanto comigo.

-x-

38 – Daoko – Step Up Love (feat Yasuyuki Okamura)

stepuplove

A minha indicada a jpop do ano na FQA não é exatamente o meu jpop favorito de 2017, mas ainda é uma música ótima e que merece indicação. Afinal, quem resiste a essa estrutura disco pesada e bem agressiva, que contrasta com o já contrastado timbre dos dois? O instrumental disso é  de longe um dos melhores do ano, e fica tudo ainda melhor la pelos 3 minutos de música, onde surge o break de disco psicodélico totalmente do nada ❤

-x-

37 – Girls’ Generation – Girls Are Back

2131411

Por um bom tempo, Girls Are Back foi a minha favorita do Holiday Night, e eu quase cogitava em enfiá-la no top 10. A preferência mudou, mas ainda acho ela ótima, pois consegue passar muito bem o clima de comemoração, de curtição, etc, que o álbum tenta passar em outras faixas (e consegue, mas essa aqui consegue ainda mais). Dá pra realmente acreditar que elas estão prontíssimas pra quebrar corações e fazer barulho na noite, e tudo isso por cima de um pop oitentista ótimo. Ouçam aqui.

-x-

36 – Wednesday Campanella – Audrey

z324017114

Eu gostei tanto do Superman (nunca me cansarei de dizer isso) que as faixas dele só começaram a aparecer no top depois que mais da metade já havia passado, e continuando com elas, Audrey, que creio eu ser inspirada em Audrey Hepburn (uma atriz super consagrada), e na faixa é um tropical house glamouroso que tem momentos mais puxados pro house e outros mais puxados pro tropical. É o tipo de faixa que até te faz sorrir quando ouve, por saber que você conhece aquilo e pode apreciar. Ouçam aqui

-x-

35 – Highlight – Plz Don’t Be Sad

doojoon-highlight_1490192380_af_org

Depois daquela ballad que serviu de pré-release, eu não imaginava que o Highlight, após sair da Cube e do nome Beast após 8 anos, fosse lançar um pop rock gostosinho alá Coldplay quando resolvia lançar algo que preste. Não tem nada de muito inovador nisso aqui não, mas é uma música tão divertida (e com um clipe tão divertido quanto), e meu biasismo por eles (que quase nunca é mostrado, mas existe) me fez viciar nisso por uns 2 meses, saudades.

-x-

34 – IU – Jam Jam

gufdjlb

O Palette tá mais pra um degradê de cores frias do que pra uma paleta de pintura mesmo, já que ele tem várias ballads que vão de boas à tediosas no meio da tracklist. E em meio a elas, Jam Jam se destaca por vários motivos: é a mais (e quase a única) animada do álbum, seguindo uma estrutura levíssima e psicodélico de house, quase que imperceptível, e também pela letra toda sexual, o que faz com que seja 100% compreensível a IU não usá-la de single (já que o escândalo com o Zezé ja fez os coreanos ficarem putíssimos com ela, imagina só afrontá-los de novo). Pra ilustrar, o teaser que mostra o quão icônico seria um clipe disso. Ouçam aqui.

-x-

33 – Sonamoo – I (Knew It)

611gr3i7hml-_ss500

Esse ano Sonamoo mudou (de novo) o seu conceito, mas dessa vez pra melhor. Ambas as faixas vão aparecer aqui (eu conclui que Friday Night é melhor, apesar de já ter dito o contrário), e pra começar, que tal latin pop? I (knew it) tem exatamente o que eu gosto nesse tipo de faixa: um refrão bem explosivo, e nesse caso, é ainda mais por ter versos bem dramáticos e misteriosos, até chegar no refrão rebolativo. Boatos que terão comeback em janeiro, e espero do fundo do meu coração que esse bom nível seja mantido.

-x-

32 – DreamCatcher – Fly High

dream-catcher

DreamCatcher tem como assinatura sonora o rock paulera que as deixa como os maiores ícones do heavy metal mundial, mas o single (foquem nessa palavra) que mais me atrai é justamente o mais ~light~ delas, que sai um pouco do template abertura de anime de terror e vai pro nunca explorado por elas antes abertura de anime de aventura. Não sei se essa coisa menos intensa se dá por ser um comeback de verão ou por contar a história antes delas virarem os demônios dos 2 primeiros mvs, mas de qualquer forma, caiu muito bem com elas.

-x-

31 – Gugudan – A Girl Like Me

cover

Porra, como eu amei isso aqui quando saiu. O debut do Gugudan ficou conhecido como um dos mais decepcionantes do ano passado, e eu não fazia ideia do que esperar desse comeback quando anunciado. E ver que a Jellyfish jogou farofa aegyo pra elas foi lindo, sério, essa música aqui é grudenta demais (eu passei literalmente umas 4 hrs seguidas com ela no repeat no dia do lançamento), e esse mv deixa tudo melhor, já que eu amo mvs com conceitos individuais.

-x-

30 – A.C.E – Cactus

c_6rvoiuaaajuoi

Dias antes de montar a minha lista com as 100 músicas que iriam aparecer aqui, eu tive uma crise sobre qual era melhor: Cactus ou Callin’. Eu não podia enfiar as duas pois tinham mais faixas do Wednesday Campanella pra botar, e ai meu cérebro deu pane. Porém, conclui que realmente, Cactus é imbatível, é algo que eu nunca tinha ouvido parecido entre os boygroups do kpop, esse break é icônico demais e torna Cactus uma das melhores farofas do ano. Rookies de 2017!!!1

-x-

29 – CLC – Hobgoblin

10031738_org-e1484582967432

Uma das maiores reviravoltas que o kpop teve esse ano foi ver que a Cube finalmente mudou o rumo do CLC, botando elas pra serem o 4Minute da 3° geração e lançar pancadão trap assim como as suas mamães. Ok que isso só durou esse comeback e 7 meses depois elas tavam lançando ballad, mas o que importa é que Hobgoblin teve um hype imenso e correspondeu totalmente a ele. Afinal, quando é que uma faixa dessa não agrada o povão, não é mesmo?

-x-

28 – Red Velvet – Peek-A-Boo

fcc493958bc1d50e4082437194984ec7-640x640x1

Só por Yeri estar ❤ segurando uma besta ❤ no teaser eu já sabia que isso aqui seria bem icônico, apesar de aparentemente parecer um tropical house qualquer. Mas NÃO FOI um tropical house qualquer, e sim algo que eu não faço ideia do que é, mas que é muito bom. O refrão de Peek-A-Boo é 100% o que esperamos de Red Velvet, só que com uma vibe mil vezes mais creepy que o habitual (afinal, Peek-A-Boo tem a intenção de ser creepy em todos os sentidos). E de longe o seita-que-sacrifica-entregadores-de-pizza-concept foi o mais legal do ano.

-x-

27 – BoA – Camo

boa-camo

Fazia um bom tempo que a BoA não voltava com uma coisa dessa, então Camo tava sendo bem aguardada pelos capopeiros. E porra, que comeback, não? Camo, na discografia da BoA, não é lá muito inovadora porque ela tem bastante coisa assim, mas assim como outros exemplos de farofa-evocativa-de-Michael-Jackson que ela tem, Camo é muito boa, e tem um clipe muito legal também. Pena que flopou.

-x-

26 – Odd Eye Circle – Loonatic

odd-eye-circle

AAAARGHH ISSO É BOM DEMAIS. É uma das faixas mais interessantes que ouvi esse ano, Loonatic é… sei la, tem palavra pra descrever isso? Ela é etérea, intensa, mas também consegue ser bem relaxante. Sinceramente, nem vou tentar falar muito dos sentimentos que a faixa passa pois devem ser todos. Loonatic é basicamente Kill V Maim em 2017 e lançada por coreanas (até a interpretação delas parece ter sido inspirada na da Grimes, ambas “apagadas” e pouco entendíveis). Enfim, Loonatic é ótima e é isso. Ouçam aqui.

-x-

Eu deveria ter postado isso mais cedo, mas o wordpress ta numa de ficar apagando parágrafos. Mas a reta final está aqui, sexta-feira tem do 25 ao 11° lugar e no domingo, o apocalíptico top 10.

Não se esqueçam de curtir a página do blog, e se gostaram do post, compartilhem ❤

Anúncios

5 comentários sobre “Top 100 de 2017 – Parte 5 (40-26)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s