Top 100 de 2017 – Parte 3 (70-56)

Olá, como vocês estão?

E cá estamos com mais uma parte do top de 2017, a partir de agora as coisas começam a ficar naquela área de “coisas que escutei bastante o ano todo e que curto da mesma forma até agora”. Sem mais delongas, vamos:

70 – Lee Hyori – Black

60001024

Hyori adotou um estilo de vida indie durante esses 4 anos sumida da indústria, e todos sabíamos que isso iria influenciar seu trabalho quando o possível álbum viesse a tona… e bem, influenciou de forma positiva, eu adorei esse clima ~pesado~ de Black (o break de EDM no 1° refrão me fez ouvir isso quase todo dia durante um bom tempo), e ele casa muito bem com a letra da faixa, onde Hyori fala, de forma metafórica, sobre a perca do verniz de idol que ela teve por muitos tempo.

-x-

69 – Charisma.com – #hashdark

charisma-com0207

O not not me não é lá tão maravilhoso quanto o Aidoro C do ano passado, e mesmo que ele tenha algumas bsides bacanas, o destaque é, de fato, o single. #hashdark segue essa linha de EDM urbano e rebolativo que a Ke$ha costumava lançar lá por 2010-2011 (pra uma comparação mais dentro do nicho, Astroboy do FEMM me vem à cabeça, só que sem o break servindo de refrão), só que no caso delas, com a critica sobre o lado negativo das redes sociais vindo junto.

-x-

68 – Minzy – Ninano

minzy

Poxa, como eu demorei pra engolir isso aqui. Minzy tendo o primeiro álbum solo entre as ex-2NE1, sendo que no grupo ela era a única sem um singlezinho solo ou feat com Epik High ou membro do BIGBANG pra chamar de seu era um evento icônico por si só, e ver que ela viria com farofão foi melhor ainda… só que ai eu simplesmente não conseguia entender por quê diabos existia esse 2° pré-refrão cantado, sendo que sem ele, Ninano seria A farofa datada de 2017. Mas ai eu comecei a aceitar calmamente isso na minha vida, e Ninano virou um dos meus singles de solista favoritos do ano. Pena que flopou por quê não entenderam o conceito.

-x-

67 – Bed.In – COCORO Graduation

bed-in-cocoro-graduation-0

Eu sinceramente gostaria de entender como que Bed.In conseguiu misturar o trash noventista habitual delas com synthpop oitentista, ver duas décadas na mesma sonoridade é realmente algo que buga minha mente. Mas enfim, eu ainda não escutei o Tokyo (nem sabia que tinha saído, na verdade, aceito recomendações), porém se ele for inteiro como isso aqui, já é #1 em mais de 150 países, incluindo o sul do Brasil. Sério, gosto dando dessa música, a dramaticidade a mais é ótima, com certeza a melhor delas desde Gold No Kaikan ❤ (vamos fingir que elas não tem só 1 single de intervalo entre ambas pra dar sentido no que falei)

-x-

66 – DreamCatcher – Good Night

10052038_org

Dói um pouco botar um vício de meses atrás relativamente baixo no top, mas fazer o que se o próprio DreamCatcher conseguiu se superar em lançamentos posteriores? Good Night veio pra afirmar que elas estavam firmes e fortes como as 7 cavaleiras do apocalipse no mar de aegyo do kpop. O single conseguiu ser ainda melhor que o debut delas (ficou na peneira, perdão), inclusive, essa caixinha de música virando o solo de guitarra no começo da faixa é a coisa mais icônica do ano ❤

-x-

65 – NCT 127 – Cherry Bomb

10071172_org

Ai ai, ainda bem que eu sempre gostei de Cherry Bomb. Nunca disse que ela era uma farofa horrível, que era literalmente uma bomba e nem que ela era um single mal escolhido, pois tinham músicas bem melhores no mini, né gente? Estou com a consciência limpa. Isso aqui é uma música tão boa, essa pegada propositalmente trash e tryhard misturada com os coisinhos 8-bit dão toda uma distinção em Cherry Bomb, fazendo ela ser algo bastante único entre os singles-hip-hop-de-boygroups que saíram esse ano. Na verdade isso é algo que eu posso dizer do NCT 127 como um todo, até Limitless que eu não cheguei a gostar tem isso também.

-x-

64 – Chungha – Why You Don’t Know

14dd6a26b6fbefd3635857248001

Ta ai um exemplo de faixa que é só legalzinha no começo, mas que a cada ouvida vai se tornando melhor. No começo eu não tinha achado Why You Don’t Know la essas coisas não, eu tava esperando algo bem mais dark vindo da Chungha, além de que, no dia que saiu, não tinha NADA no titulo do mv sobre o rap aleatório no meio da faixa (ao menos nesse do canal da empresa dela), e isso foi como um balde de água fria na minha cara. Mas ai, estranhamentos passaram e eu comecei a gostar bastante disso aqui. E até hoje é uma surpresa ver ela gritando com gosto ❤

-x-

63 – iKON – B-day

ikon

Poxa, iKON lança umas coisas toscas tão boas de vez em quando, B-day por exemplo é aquele tipo de farofa simples que a YG parece não saber fazer, mas que quando consegue, fica ótimo. Na verdade, iKON lançando essas coisas é 100x melhor do que quando eles pegam pra lançar aquelas coisas badass (ou pior, midtempos). Sério, esses wewewewe do refrão, o clipe SUPER aleatório (do templo asteca vai pra caixa da SM, que vai pra uma garagem qualquer), tudo evoca iKON nos seus melhores dias.

-x-

62 – Red Velvet – Look

fcc493958bc1d50e4082437194984ec7-640x640x1

SM decidiu matar o lado velvet ano passado após o desserviço que o The Velvet foi, mas como uma fênix, ele voltou esse ano pra mostrar que estava apenas em descanso (agora é torcer pra não matarem ele de novo). E dentre as boas faixas lado velvet que tem no Perfect Velvet, Look é de longe a melhor delas (e acho que a melhor do lado velvet num todo, sério mesmo), é um pop oitentista elegante e bem forte, se fosse single, já merecia um mv alá o de I Feel You. Ouçam aqui

-x-

61 – Girl’s Day – I’ll Be Yours

girls-day-everyday-5-6th-mini-album

Eu entendo vocês que se decepcionaram com I’ll Be Yours, ela não é lá uma Expect ou uma Ring My Bell da vida (sim, Ring My Bell de exemplo porque Something é sem sal) , e do Girl’s Day a gente sempre espera isso, mas I’ll Be Yours ainda é bem boa e merece ser reconhecida. É basicamente uma música da Ailee em 2013-2015, e poxa, eu curto bastante essa sonoridade, então, não tenho do que reclamar (ainda mais por essa aqui ter um refrão icônico com essas guitarras ao fundo, dá outra cara pra faixa).

-x-

60 – Hyoyeon – Wannabe (feat San E)

1a57fe8d42b1506e72d870fa36fd4ac5-1000x1000x1

Ok, eu concordo que os versos de rap tryhard, o refrão de surf music e o clip de K.O korean version não tem lá muita concordância entre si, mas eu gosto TANTO disso aqui, é uma farofa tão legal e grudenta (o refrão principalmente eu gosto bastante), e como raramente acontece em faixas assim, o rap do San E feminista não é tão dispensável assim. Acho a carreira da Hyoyeon bem promissora no quesito de “solistas que o povão adora mas os coreanos não dão a mínima”, espero que a SM não engavete tudo.

-x-

59 – WJSN – Babyface

wjsn-happy-moment-mp3

Outra faixa ótima do Happy Moment que a Starship ignorou completamente. Babyface é algo que eu gostaria de ver com mais frequência entre os grupos aegyo, farofas assim com clipes bizarros sempre são uma boa combinação, eu mesmo consigo imaginar Babyface com um mv se passando numa balada cheia de aliens e bichos espaciais e algo acontecer pra elas ficarem com caras rejuvenescidas igual o efeito do snow. Ainda dá tempo, Starship. Ouçam aqui.

-x-

58 – Faky – Chase Me

b1c774ed8b34bf66051dfd08864f207cd587e977_59e612e8bc62a

Faky teve um ano ótimo, cheio de faixas bem legais e que prevalecem na minha playlist até agora. E a primeira delas a aparecer aqui no top é Chase Me, música que elas fizeram pra abertura de Gundam, que mantém a pegada eletrônica que elas sempre tiveram e misturando com uns elementos noventistas, deixando a coisa toda parecendo uma abertura de anime mas também uma farofa pra sair vogueando por ai. Mais faixas delas irão aparecer mais pra frente, então preparem-se pra rasgação de seda, hihi. Ouçam aqui.

-x-

57 – FEMM – My Revolution (feat Akina, Mikako e Anna do Faky)

6-femm-e4bb8ae5a49ce381afe38395e38299e382ade38299e383bce383bbe3838fe38299e38383e382af-featuring-lil-fang-yupin-5bradical-hardcore-remix5d-m4a-image

Certamente um dos destaques do álbum de covers do FEMM, My Revolution é uma das faixas que mais ficou boa na versão das manequins. A vibe brega e espalhafatosa da original é muito legal, mas eu particularmente prefiro a versão EDM conceitual com elementos tradicionais do Japão na backtrack, tendo seu climax no refrão animadinho. Incrível como algo que eu só gostei e pronto quando saiu se tornou uma das coisas que mais ouvi… ouçam aqui.

-x-

56 – Teen Top – Love Is

teen-top-high-five-2nd-full-album

Eu nunca dei muita bola pra Teen Top (tanto que eu conheço umas 5 músicas deles no máximo), então nem tinha o que esperar disso aqui… e isso ajudou, adoro esses números de EDM triste que os boygroups costumavam fazer há uns anos mas que hoje é mais raro. Gostei dos breaks que tem pela faixa, e a voz esganiçada do Niel dão uma coisa a mais pro refrão. É como dizem, música boa vem de gente que nós menos esperamos, não?

-x-

Parte 3 está entregue. Eu volto na segunda com a parte 4, até lá, boa véspera Natal a todos vocês, comam muito na ceia e pra quem for religioso, que as entidades sagradas de suas religiões os abençoem ❤

Não se esqueçam de curtir a página do blog, e se gostaram do post, compartilhem.

Anúncios

5 comentários sobre “Top 100 de 2017 – Parte 3 (70-56)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s