Top 70 de 2015 – Parte 2 (55-41)

Olá, como vocês estão?

E cá estou eu com a 2° parte do top de 2015, eliminando mais 15 faixas e estando mais próximos da faixa que salvou minha vida há 2 anos atrás.

Aqui o drama de ter faixas que mereciam posições mais altas continua, mas como eu sempre digo, ao menos estão aqui. Ah, e aqui acabou rolando uma enxurrada de bsides, preparem-se.

Vamos lá

55 – Wednesday Campanella – Shakushain

okobgtg

O Zipang é provavelmente o melhor trabalho do Wednesday Campanella até agora (inclusive quero fazer review dele um dia), e a primeira faixa dele a aparecer aqui é também a que o abre, Shakushain. Adoro como isso aqui vai crescendo aos poucos, tendo seu começo somente com os raps da KOM_I acompanhados de um tambor, até que começam a vir os outros elementos do instrumental e a faixa engrena em sintetizadores etéreos maravilhosos. Acho que é uma das minhas favoritas do trio…

-x-

54 – Wonder Girls – I Feel You

2017070707112721wonder_girls_-_reboot

2015 também foi um bom ano pra voltas triunfais de certos grupos, e o Wonder Girls entra na lista. Há 3 anos sem lançarem nada, elas vieram pra salvar o ano trazendo conceito banda e os anos 80 em massa pras nossas vidas. I Feel You tem seu diferencial por, ao invés de ser uma reinvenção de alguma sonoridade oitentista, ela soa 100% como algo direto da década, tanto sonoramente quanto visualmente. I Feel You é a minha menos preferida do Reboot, mas isso não quer dizer que ela não seja boa.

-x-

53 – Gain – Paradise Lost

cover

Eu não sou lá tão fã do 2014 da Gain, então quando isso saiu eu não tinha lá muitas expectativas. E ainda bem, porque isso só ajudou com que eu adorasse Paradise Lost. A faixa tem toda uma aura dark e sensual (característico dela, por sinal), e mesmo não sendo lá tão impactante sem o mv (que aborda, junto com a letra, algumas questões religiosas, essa coisa de abordar tabus nos comebacks é uma das coisas que mais gosto na Gain), continua boa. Uma pena que ela só volte 1 vez por ano.

-x-

52 – 4Minute – Cut It Out

4minute-crazy-mini-album

4Minute teve um comeback extremamente icônico em 2015, trazendo #revamped ao vocabulário mundial e com o retorno do girlcrush concept, e junto com tudo isso, tivemos também o melhor mini da carreira delas (apesar de que ainda tenho minhas duvidas se prefiro o Crazy ou o Act 7). Cut It Out é minha bside favorita, e eu gosto principalmente do refrão melódico e melancólico dela, que contrasta bem com os versos de rap fodão. Volta, 4Minute. Ouçam aqui

-x-

51 – Wonder Girls – Loved

2017070707112721wonder_girls_-_reboot

Por mim eu encheria isso aqui de Reboot, mas como tem outros 189389 artistas, vou me contentar só com 3 faixas. Loved é uma das minhas favoritas, e ela é provavelmente uma das mais ~anos 80 de raiz~ junto com a title. Adoro a trilha sonora de filme trash de ação no instrumental, e o refrão sussurrado é maravilhoso. Fico imaginando isso aqui rendendo um clipe bem legal e evocativo de filmes antigos com elas se vingando de algum ex.  Ouçam aqui

-x-

50 – B.A.P – Young, Wild & Free

bap_1447792131_af_org

Já que lá em cima eu falei de retornos inesperados, vamos falar de B.A.P também, que na época tava com um risco de disband fudido por causa da treta com a TS e o contrato abusivo, mas que depois de 1 ano de rolo, acabaram permanecendo lá e voltaram no fim do ano. Young, Wild & Free me fez ter vários surtos de fanboy na época porque eu amo eles é o hiphop-rock característico do B.A.P, e isso sempre funcionou com eles, então aqui ele também é bem bacana. Não é lá muito inovador, mas é um bom exemplo de oppa fodão concept.

-x-

49 – f(x) – X

f28x29_4_walls_cd_cover

f(x) veio com o melhor álbum delas em 2015 (não é meu preferido, mas é o melhor delas, espero que tenha dado pra entender), e ignorando a minha vontade de enfiar tudo aqui nesse top, vamos a X, uma das mais calminhas do 4 Walls. Adoro o clima relaxante dela, e mesmo sendo bem simplória (é basicamente elas falando chemical X a faixa toda), é bem efetiva. E destaque pra bridge, que deixa mais evidente ainda a aura pop 80’s da faixa. Ouçam aqui

-x-

48 – Ailee – Mind Your Own Business

ailee_1443140282_af_org

Vou ser sincero com vocês: eu gosto de todas as reciclagens que a Ailee fez. Mais de umas e menos de outras, mas acho todas boas faixas. E a minha favorita é justamente a última delas. Mind Your Own Business é bem genérica, mas nem sempre isso é uma crítica, como eu já disse aqui umas vezes, o que importa é a forma como a execução é feita. Essa coisa de R&B-pop de diva vocal sempre cola comigo, então é natural que eu adore isso. Uma pena que o álbum seja bem fillerzinho, mas a title é ótima.

-x-

47 – Mamamoo feat. eSNA – Ahh Oop! 

mamamoo_1434747448_af_org

Um Oh Ah Yeh foi o quase-estopim pro desflop do Mamamoo, mas eu achei o pré-release bem melhor. Ahh Oop! segue a risca a fórmula que elas usaram por 2 anos, tendo uma pegada de jazz bem pesada e com vários gritos aqui e ali. Eu acho que essa é uma das faixas mais catchy delas até agora, com os “look at my eyes, look at my lips, look at my neck, just look, don’t touch” sendo ótimos e grudentos. Ah, e a participação da eSNA aqui é bem-vinda também.

-x-

46 – Seventeen – Shining Diamond

seventeen_1433264868_af_org

Eu não acho Adore U tão ruim assim, mas isso aqui que deveria ter sido a title de debut deles. Shining Diamond tem uma ótima vibe ~pra cima~ e que casaria bem como faixa de estréia. Mas paciência. Isso aqui é ótimo, adoro a pegada R&B-pop meio funkeada que a faixa tem, e o destaque vai pro refrão, que é bem animado, e pro pós-refrão grudento que casa bem com tudo. Lance mais coisas assim, Seventeen, eu agradeço. Ouçam aqui.

-x-

45 – SHINee – Savior

clov69luaaanryu

O Married To The Music foi um dos repackages mais bem-vindos que já vi, porque ele fortaleceu bastante o Odd. E entre as faixas inéditas, a minha favorita é Savior, que segue o EDM de View, mas de uma forma bem diferente, sendo bem mais animada e farofenta. E principalmente, o refrão é bem explosivo, o que da bastante replay-factor pra faixa É uma das minhas faixas favoritas deles até hoje… Ouçam aqui

-x-

44 – Fiestar – Turn Off The Lights

9c5cb5bc448353a5ae9e6ad8ff6ec0d9

2015 foi um bom ano pro Fiestar, musicalmente falando (2016 mais ainda, mas é outra história), o mini delas foi bem bacana e coeso. E a minha bside favorita é essa aqui, que começa como uma midtempo chorosa e acústica, mas que depois ganha sintetizadores que deixam tudo parecido com algo que seria lançado por alguém do pop latino. Isso sim que deveria ter sido a title, mesmo que eu goste de You’re Pitiful também. Ouçam aqui

-x-

43 – BESTie feat Almeng – I’m So Fine

45330-andltahrefhttpwwwjpo-mu9k

O que eu disse da Gain lá em cima se encaixa aqui também, eu não curto tanto as faixas que o BESTie lançou em 2014, então o comeback delas em 2015 foi mais do que bom pra mim. Enquanto a title fica no ar onde está no top, temos essa maravilhosa bside, que é basicamente uma faixa do f(x) (acho que se encaixaria lidamente no Red Light, inclusive). Adoro o refrão melódico e gritado dela, e o ponto alto de tudo é o break de funk que tem antes da bridge. Infelizmente elas nunca aconteceram nem foram muito populares, então aproveitem pra vir ouvir isso aqui (que eu aposto que pouca gente deve conhecer). Eu tinha esquecido de botar a faixa, ouçam aqui

-x-

42 – Psy – Daddy

1200x630bb

Psy basicamente dominou o mundo em 2012 e quase fez de novo em 2013. E acho que esse hype poderia ter continuado caso Daddy fosse do ano anterior, mas… Enfim, eu acho Daddy a melhor música do oppar da nação, provavelmente porque o BPM dela é bem alto que o de suas antecessoras, e o EDM datado e brega é mais bem usado aqui do que nunca antes. E claro, por causa do icônico clipe com Psy e suas gerações (e com a CL dando mortal aleatoriamente). Daddy é bem viciante, e é isso que me vem a mente quando penso em Psy.

-x-

41 – Red Velvet – Time Slip

7949469071175137

O The Red é cheio de faixas boas do começo ao fim, e eu nunca consegui decidir qual era realmente a minha favorita dentre as bsides dele (foco em bsides), mas cheguei a conclusão de que é Time Slip, a quase-cópia de Fancy só que melhor. Adoro os sintetizadores graves sendo usados de forma suave, combina bastante com o clima calmo da faixa. O refrão melódico da faixa é legal também. E tudo fica melhor quando vemos que isso fala sobre acordar cedo na segunda-feira. Red Velvet é gente como a gente. Ouçam aqui

-x-

E essa foi a 2° parte do top de 2015. Alguma injustiçada?

Não se esqueçam de curtir a página do blog, e se gostou do post, compartilhe ❤

Anúncios

8 comentários sobre “Top 70 de 2015 – Parte 2 (55-41)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s