REVIEW: EXID – STREET

“Então como percebi que as reviews ultimamente tem saído semanalmente, vou transformar em uma programação pro blog: toda quinta feira vai ter uma review de álbum, seja ele antigo, atual, de boyband, girlband, whatever, apenas algum que me motive a escrever sobre.” – este que vos escreve no post da review do 1 Of 1

Toda quinta feira”

Sei que hoje é quarta, mas por motivos de top de 2016 eu precisei adiantar essa review. Prometo que na semana que vem volto ao normal.

Enfim, vamos ao post: EXID, após 2 anos como parte do mundo nugu, finalmente estourou com Up & Down. E como todo grupo que atinge o estrelato, uma hora ou outra elas iriam lançar um LP, e eis que, em junho desse ano, o dito cujo finalmente foi lançado, e com a promessa de uma title completamente diferente do que elas já fizeram. E foi isso que tivemos, mesmo que não tenha agradado muita gente (afinal, vocês que sempre reclamaram de reciclagem TAMBÉM reclamaram que não parecia EXID). Mas será que o álbum vale a ouvida, assim como a title? Ou será que, como é de costume de 70% do kpop, é só um monte de filler pra preencher espaço? Vamos conferir.

Ouçam pelo Spotify:

Iniciamos com Don’t Want a Drive, um R&B bem bom que lembra coisas como Every Night e Dangerous, e assim como ambas, cumpre bem seu papel. É um começo bem acima da média.

O lead single, L.I.E, opta por um pop um pouco mais teen que o costumeiro delas, mas é ótimo. Tem versos legais, um refrão maravilhoso e depois vem os sintetizadores que transformam a faixa quase numa Bitch I’m Madonna korean version. Ah, e o rap da L.E é memorável.

Depois vem I Know, um pop R&B gostosinho no teclado que por si só vale a ouvida, mas o destaque vai pro teclado com os “i know, i know, i know” após o refrão, que acrescenta bastante. A letra com elas dizendo que sabem que o namorado delas é um panacão, mas que não conseguem largar ele é bacana também.

hanii

O álbum segue com Hello, solo da Hani, que é uma midtempo bem gostosinha e até meio melancólica. Não é o que eu esperava vindo de algo solo dela (sei lá, sempre imaginei ela com algo mais teen e alegrinho, tipo Pretty Age 25 da Jieun ou um sexy mais sóbrio), e por isso a faixa surpreende, além de ser boa.

Sendo um dos destaques, temos Cream, um dancepop no violão com um tiquinho de dancehall no refrão. Tem um refrão bacana e catchy, além do replay factor maneiro. Com certeza uma das melhores coisas que elas já fizeram.

solji

Seguimos com 3%, solo da Solji, uma ballad acústica bonitinha que fala sobre uma pessoa que não consegue lidar com o fato de que seu relacionamento acabou. Dentro do álbum funciona bem, mas não sei se é todo mundo que vai ouvi-la inteira numa segunda execução do Street.

Temos Only One de follow-up, uma dessas ballads misturadas com uptempo que, sem exceção, sempre me agradam. É bem agradável se ouvir, mesmo que eu não me imagine indo até ela pra dar uma escutada avulsa.

le

Já estamos na segunda metade do álbum e o nível não caiu em momento algum. Então vamos pra No Way, que é um hip hop descontraído com um refrão bacana. É o que mais se aproxima de filler no álbum, mas não é ruim nem nada.

Outro destaque é Are You Hungry?, dueto da Hyerin com a Junghwa. Sendo algo inesperado vindo do EXID, isso aqui é um EDM no melhor estilo nonsense, soando como algo que atos tipo Orange Caramel e CocoSori lançariam. Desde o violão tocando com a batida abafada no começo, os “nhamnhamnhamnhamnham” no refrão e até a letra fumada que pode ser interpretada tanto de maneira wtf quanto de maneira pervertida, é tudo fantástico. Melhor você ficar esperta, senhora Banana Culture, porque debutar elas com uma unit nesse conceito vai ser seu melhor feito em anos.

hyerin-f

Ouvir o piano no começo de Like The Seasons já fez com que eu sentisse meu corpo afundar. É  ballad-esquecível-que-fecha-álbum que todo mundo já fez e insiste em fazer. Pelo menos ela não te dá a sensação de raiva por ter gasto seu tempo ouvindo, mas passa extremamente despercebida (tanto que eu só consegui voltar a prestar a atenção no álbum na faixa seguinte.

Good ~termina~ o álbum, sendo um pop uptempo bem divertido onde elas dizem que o namoro delas é uma mentira. Aceitar os fatos é tudo, não é mesmo?

junghwa

Iniciando as “””bônus track””” temos um remix de Hot Pink. Particularmente, a backtrack mais urbana deixou a faixa bem legal, e eu arrisco dizer que gosto mais dela assim do que da versão original.

E, fechando oficialmente o álbum, temos L.I.E (Jannabi Remix). Talvez, se o instrumental fosse melhor escolhido, eu teria curtido isso aqui, mas infelizmente ele traz a impressão de que simplesmente pegaram o tema de encerramento do Bob Esponja uma batida qualquer de reggae e botaram a faixa por cima (tipo o que acontece com a party version de Hush, do Miss A) Poderia ter fechado com a anterior, mas fazer o que, né…

No geral, Street é um álbum bem acima da média e que prova que EXID veio pra ficar. Tem uma boa variedade sonora, com faixas que funcionam por si só e sem músicas realmente ruins (no máximo uma esquecível e olhe lá). O seguimento de fatos contado através do álbum é bem legal também, sendo repleto de decepções amorosas. Eu costumo falar tanto dos pontos positivos quanto dos negativos na conclusão da review, mas sabem que eu não consegui achar defeito aqui? Sério, é tudo tão bem feito que eu não consigo destacar algum ponto negativo. Parabéns EXID, o álbum do ano é de vocês. Aliás, parabéns também por terem me deixado com medo de tomar um pé na bunda.

street

The Misconceptions Of Me ~ Review

EXID – Street

Lançamento: 01/06/2016

Nota: 9,5

TOP 3: L.I.E, Cream e Are You Hungry?

E vocês, o que acham do Street?

Não se esqueçam de curtir a página do blog, e se gostou do post, divulgue ❤

Anúncios

7 comentários sobre “REVIEW: EXID – STREET

  1. May disse:

    Eu amo esse álbum e fui perceber só esse mês. Quando saiu achei ok mas aí peguei pra escutar de novo no tédio das férias e virou uma das minhas coisas favoritas do ano todo. Já devo ter uma doze execuções dele esse mês, eu realmente gosto de tudo nele. Eu pulo L.I.E de vez em quando por já ter saturado um pouco, mas é um jam! Até o top amanhã.

    Curtir

    • Adriano disse:

      Eu fiquei assim também, no começo achei “ah, legal”, mas ai comecei a ouvir com mais atenção e percebi o quão bom era.
      Ah, comigo L.I.E ainda é como se cada ouvida fosse a primeira, gosto muito.
      Até ❤

      Curtir

  2. NAVILLERA disse:

    Ai amo tanto meu EXID e fiquei muito feliz quando soube que elas iriam lançar o primeiro LP. O album realmente é muito bom e até hoje n me cansei dele, n pulo nenhuma musica. Ponto pra maravilhosa L.E que participou de toda a composição e produção do album e é por isso que realmente gosto do EXID, além de serem lindas, simpáticas, divertidas, simples e muito fofas, elas são talentosíssimas e merecem todo sucesso do mundo ❤ Amei a review e amei o blog, parabéns. ❤

    Curtir

    • Adriano disse:

      Eu fiquei bem empolgado quando soube também, na época eu só ouvia uma musiquinha aqui e ali mas agora elas tão quase entrando pro meu top de girlbands.
      Sim, L.E acertou bem a mão nas composições.
      Obrigado ❤

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s