Top 80 de 2016 -Parte 3 (60-51)

Vocês devem estar pensando “mas o que esse louco tá fazendo? Ele não ia postar a parte 3 só amanhã?”

Sim, eu ia, e pretendia usar de pauta pra hoje o debut chinês do EXID (que aliás está ótimo), mas eu simplesmente NÃO CONSEGUI pensar no que falar sobre, e acho que postar um simples “gostei” seria bem aleatório. Então eu pensei “vou postar a parte 3 do top e depois decido o que faço com o EXID”, e isso nos leva a esse post.

Com vocês, a 3° parte do top 2016:

60 – Gain – Carnival (The Last Day)

end-again

Num ano em que não tivemos Brown Eyed Girls (álbum comemorativo dos 10 anos de carreira pra que?), Gain veio pra nos suprir da necessidade de seu grupo com um lindo solo que aborda a morte e como devemos aproveitar a vida de forma alegre e, claro, sexy. Numa primeira ouvida eu admito que não gostei de Carnival, a achei teatral demais pra ouvir casualmente (ainda penso isso, mas aprendi a me acostumar com a faixa). E pra acompanhar, temos o belo mv mostrando Gain em seu próprio velório e como foi sua vida. Comparações com The Red Shoes da IU são válidas, mas sinceramente? Ambas são ótimos números de jazz, então em vez de criar rixa, vão ouvir Everyone Has A Secret, feat entre as duas.

-x-

59 – Far East Movement feat Tiffany – Don’t Speak

idnef

Já que toquei no assunto de solistas que fazem parte de grupos, vamos a Don’t Speak, da Tiffany do Girl’s Generation, a soshi que eu mais gosto em questão de solos. O 2° single do inusitado álbum do Far East Movement foi muito bem escolhido, sendo um dancepop elegante que só fixa a identidade sonora que Tiffany seguirá em sua carreira. E tudo só melhorou com o clipe que saiu na semana passada.

-x-

58 – EXO – Monster

exact

Lembro até hoje a dor de cabeça que passei quando Monster (juntamente com Lucky One) foi lançada, pouco mais de 6 meses atrás, visto o caos que se formou por conta da letra problemática. De um lado, o povo problematizando – com razão – e de outro os fãs defendendo com unhas e dentes. Mas discussões a parte, Monster é a melhor coisa que o EXO lançou como title esse ano e fica junto com coisas tipo Overdose, Mama e Wolf no catálogo deles. Monster tem um refrão bom, raps agressivos que funcionam e no fim acaba tendo um replay factor bem alto.

-x-

57 – VIXX – Dynamite

zelos

O primeiro dos 3 comebacks que VIXX fez esse ano, Dynamite é um funky bem bom que vai crescendo pouco a pouco até explodir no refrão energético. Não é a primeira vez que eles fazem algo nessa vibe, mas foi muito bem executada. O mv é bem legal também, cheio de cenários e todo colorido.

-x-

56 – KNK – Knock

knock

Musicalmente falando, KNK começou mais do que bem. Seu debut é também seu melhor single até agora, começando melancólica, somente com violão e piano, mas depois ganhando mais elementos juntamente com o vocal dramático. O pré-refrão é empolgante, até chegar no seu refrão marcante. O rap bem encaixado na bridge é bem-vindo também. Espero que esses meninos consigam logo o devido reconhecimento, porque seria um crime deixá-los flopar por mais tempo.

-x-

55 – 4Minute – Hate

act-7

4Minute entregou pra nós em seu último single uma total bagunça: a faixa começa como uma midtempo crescente, e quando ela parece engatar num refrão, tudo dá um giro de 180° e chega a badasszisse barulhenta. Mas mesmo com tudo isso, Hate ainda assim funciona. Óbvio que não chega perto de outros singles delas, tipo Volume Up, Hot Issue ou Crazy (mais precisamente da última, já que aparentemente a tentativa foi de seguir a vibe dela), mas fica ali junto com coisas mais medianas, tipo Huh ou Ready Go. Se a mudança de ritmo não fosse TÃO brusca, provavelmente Hate teria pegado uma vaga no top 10, mas infelizmente não foi o caso. De qualquer forma, continua sendo uma boa faixa. Volta 4Minute, a gente te ama.

-x-

54 – Sistar feat Giorgio Moroder  – One More Day

sistar

Um dos lançamentos mais inesperados do ano, One More Day é um maravilhoso disco melancólico, com um refrão marcante e sintetizadores robóticos que dão outra cara pra faixa. Ser o tipo de música que é boa pra chorar horrores quando se está triste, mas também boa pra quando você quer ralar o popô na baladinha top só aumenta o poder da colaboração do Sistar com Giorgio Moroder. Uma pena que não recebeu a atenção que merecia, tanto sonoramente quanto pelo mv abordando a causa LGBTQ+.

-x-

53 – D.Holic – Color Me Rad

d.holic.jpg

Já que T-ara decidiu lançar musiquinha de Natal falando que nos ama, alguém precisava tomar o papel de lançar o EDM pesado nosso de cada ano (eu sei que Color Me Rad saiu 4 meses antes de Tiamo, mas não podia perder a introdução) E os seres abençoados que nos trouxeram o hino dessa vez foram as meninas do D.Holic, nugu que já havia chamado a atenção de meio mundo com Chewy, e que entregou pra gente esse pancadão maravilhoso que não perde a intensidade um minuto sequer. Uma pena que o clipe parece algo fanmade (junção de falta de orçamento com empresa dando 0 fodas dá nisso), mas Color Me Rad não perde o brilho.

-x-

52 – NCT U – Without You

without-you

Eu não curti taaanto The 7th Sense, e fiquei curioso pra ver qual vibe eles seguiriam em seu 2° single. Quer dizer, não são bem “eles” porque Without You é em trio e só dois deles participam da faixa anterior, mas essa maravilhosa evocação de bandas ocidentais tipo Coldplay foi um acerto em cheio. A música segue melancólica do começo ao fim, somente aumentando-a no refrão marcante. SM poderia muito bem dar mais singles chorosos pro trio.

-x-

51 – Laboum – Shooting Love

love-sign

Não sou o maior conhecedor de Laboum, mas Shooting Love é um dos aegyos mais legais que escutei no ano. É acelerada na medida e diverte bastante. Os vocais agudos casam muito bem com a faixa e os barulhinhos de bolha são a ~cereja do bolo~. O mv é legal também, bem colorido e a mini-historinha da guerra entre elas prende até o fim, ainda que pouco chamativa. Num todo, foi um bom lançamento delas esse ano.

-x-

E essa foi a parte 3 do top de 2016. O que acham das faixas listadas? Acham que alguma foi monstruosamente boicotada?

A parte 4 sai algum dia ai dessa semana.

Não se esqueçam de curtir a página do blog, e se gostou do post, divulgue ❤

Anúncios

16 comentários sobre “Top 80 de 2016 -Parte 3 (60-51)

  1. morramay disse:

    Carnival é incrível, eu até me sinto má por não ouvir com tanta frequência mas toda vez que o aleatório jogo eu saio dançando balé. O MV é lindo e agrega a música com o conceito mas eu só vi umas três vezes então eu gosto da música independente disso.
    Eu conheci Don’t Speak por esse blog e eu a acho maravilhosa, mereceu esse lugar. Eu não sei dizer se gosto mais de Lucky One ou de Monster, por uma eu quase não escutar porém quando escuto amo e outra eu achar bem qualquer coisa mas escutar várias vezes semanalmente. No fim, Monster tem bastante replay factor mesmo.Não sei o que dizer de VIXX por não ter muito interesse neles. KNK merece o mundo, acho engraçado como todo mundo gosta deles e eles ainda são flopados pra cá. Hate eu odeio até começar a tocar. One More Day é linda demais, um crime passar tão batida! Eu espero que o Sistar continue seguindo essa linha mais séria que elas tiveram esse ano, tem sido muito bom.
    Todo mês eu tento gostar de Color Me Rad e continua um grande tanto faz pra mim, por mim Why Not ficava aí kjjjj Without U é bem boa, diria que a música mais ok e despretensiosa do projeto NCT, pena que passou tão batida que nem fizeram mil teorias pra explicar esse MV como fizeram com The 7th Sense (que era literalmente vários nada aesthetic pleasing).
    SHOOTING LOVE O AEGYO INJUSTIÇADO DO ANO! É TÃO LEGAL! SE TIVESSE SIDO LANÇADA PELO TWICE SERIA UM HIT, EU FICO BRAVA DEMAIS!
    Esperando o resto da lista 😉

    Curtir

    • Adriano disse:

      Eu comecei a viciar em Carnival tem pouco tempo, antes só ouvia por conta do mv mesmo.
      Ah, seria ótimo mesmo. Acho que nem elas devem aguentar mais cantar música de verão, quero Sistar no lado velvet por um bom tempo.
      Verdade, o povo focou tanto em The 7th Sense que nem lembrou de Without You.

      Curtir

  2. Diamantina disse:

    Acredita que eu ainda não ouvi a música da Gain? Apesar de gostar de uma das músicas dela, nem crio interesse para ouvir essa, vida que segue.
    Dou -000 fodas para Tiffany. Próximo.
    Gosto de Monster, apesar de preferir Lucky One, e até hoje meio que não entendo toda a problematização, bem, se eles queriam encenar um relacionamento abusivo na letra, foi bem feito (no sentido de coesão), não acho que seja a mensagem que eles passam como personalidade do grupo, afinal, foi a temática de um mv, não acho que venha representar o que o EXO é em si, mas bem, posso estar errada.
    Dynamite foi a melhor do ano do VIXX pra mim, adoro esses meninos.
    Acho Hate tão injustiçada, todo mundo diz que é horrível mas eu não acho, tudo bem que a mudança brusca de som me irritou no príncipio, mas o biaismo foi maior e eu gosto da faixa demais.
    Color Me Rad tá até hoje na minha playlist, uma das melhores farofas do ano, adoro.
    Quando eu ouvi Without You pela primeira vez eu fechei o vídeo nos 00:37 porque eu detestei, de verdade, e fui ouvir The 7th Sense em loop em seguida (pra mim um dos melhores debuts do ano, dos bgs pra mim foi o melhor ksdj), mas aí eu fui assistir os programinhas dos meninos, na qual ela é a abertura, e me peguei cantando enquanto cozinhava, daí foi só ladeira a baixo e agora eu amo a música, principalmente, amo a voz do Taeil.
    Você fala tanto de KNK que acho que vou começar a ouvir pra tirar a prova ksjdhkhds. #DesflopKNK2k16

    Curtir

    • Adriano disse:

      Não sei se você vai gostar da música da Gain por ser bem teatral, mas com o mv fica show.
      Ah, o povo problematizou porque na letra a SM fez eles retratarem como se fosse algo normal, acho que levaram o sentido de “monstro” a sério demais.
      Eu demorei pra gostar de Without You também, só fui dar uma chance uns 2 meses depois que ela saiu ahsuahsu.

      Curtir

      • Diamantina disse:

        Debutar na China não é moleza, e só vale a pena se você tiver uma fanbase forte por lá, e todos nós sabemos que o ato coreano feminino que é dono da China é o T-ara, acho difícil algum girlgroup chegar ao sucesso por lá sem ser elas, podem se tornar no máximo relevantes. Sem contar toda aquela baboseira de banirem os atos de kpop por lá e tal. Pode dar certo e pode não dar, mas não acho uma boa ideia ainda. De qualquer forma, não sou do fandom, então não faço a menor ideia do tamanho dos Leggos chineses, risos.
        ps: Monstros com aquelas carinhas adoráveis do Baekhyun e do Xiumin, pfffffffffft SM.

        Curtir

        • Adriano disse:

          Ah é, isso é verdade. Também não sei direito se o fandom delas é grande lá, mas deve ser pelo menos mediano, não acho que a Banana Culture seja burra a ponto de debutá-las lá sem nem mesmo uma fanbase pequena ahahsuahsua

          Curtir

  3. DM disse:

    Que Top lindo o seu! (já olhei as parte 1 e 2)

    É o que mais se aproxima dos meus gostos entre os blogueiros que eu já vi, ok que algumas músicas estão em posições MUITO mais baixas do que mereciam, mas só de ver que algumas músicas que achei que não veria em top nenhum estão aqui, já fico feliz.

    Gain ❤ não sei se gosto mais da música ou do mv.
    Don’t Speak: essa é a minha segunda música favorita da Tiffany e ela é a minha segunda solista favorita, ficando atrás de Taeyeon, pq Taeyeon me trouxe para o kpop.
    Monster: uma das minhas músicas favoritas do EXO e de longe é a que mais tem replay factor comigo.
    Hate: lembro bem da primeira vez que ouvi essa música, estava achando ela tão incrível até chegar no refrão… mas com o tempo passei até simpatizar com ele.
    One More Day: que música injustiçada! Os coreanos não darem valor a ela eu meio que já esperava, mas não entendo como os brasileiros deixaram essa música passar batido.
    Color Me Rad: toda vez que eu vejo essa garota com essa máscara eu penso em ouvir as música do grupo, mas sempre esqueço, de hoje não passa.
    Não entendo pq o pessoal criticou tanto o NCT U, entre essa no top e The 7th Sense, gosto da primeira, mas prefiro a segunda, a batida da música é tão legal e essa é umas poucas músicas que meus amigos não capopeiros gostam.

    Vi lá trás que Monsta X e Winner entraram ❤
    Winner em uma posição sofrível e injusta, mas pelo menos entrou, eles mereciam muito mais da YG, pelo menos vão ter comeback ano que vem, se não for mentira da YG, mas vou manter a esperança que é verdade.

    Curtir

    • Adriano disse:

      Ahsuahsua, obrigado ❤
      Eu até curto The 7th Sense, mas as vezes acho ela lenta demais ahsuahsu
      D.Holic tem só dois singles eu acho, mas são bons, corre ouvir
      Winner vai ser vingado ainda (quer dizer, pelo menos dois deles, hihi), mas sim, eles foram totalmente injustiçados nesse ano, nem indicados pra premiação foram.

      Curtir

      • DM disse:

        #justiceforwinner
        Sentimental é legal e com um sonzinho diferente nesse mar de músicas iguais lançados por boygroups esse ano, o mv é legal e ainda tem uma dancinha charmosa <3, como eu odeio a Coréia e o senhor YG por não darem a mínima pra isso.
        Lembro de ler uma resenha quando o mv saiu e alguém comentou que o Taehyun seria a Suzy do grupo… vou ir ali no canto chorar ao som de I'm Young.

        Que farofona boa essa Color me Rad, mais um grupo nugu pra minha lista.

        Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s